Home > EXPLORE > Comportamento > Meu filho reprovou, e agora?

Meu filho reprovou, e agora?

Final do ano chegou, é hora de juntar a família para aproveitar as férias da criançada. Mas nem sempre é assim quando nos referimos a reprovação escolar. É nesse momento em que se dá a maior preocupação dos pais, ao receber o boletim e ficar sabendo que seu filho foi reprovado. De princípio vem o pensamento dos pais, com tempo, dinheiro e esforço gasto durante todo um ano, depois do choque vem as dúvidas do que é melhor fazer nesse momento. Falar em reprovação é falar de autoestima, e o primeiro sentimento que surge é de incapacidade, o aluno se vê como “burro”, e diante desse resultado o aluno precisa sentir que os profissionais da escola e a família acreditam em seu potencial, o deixando seguro para iniciar um novo ano. Então é hora dos questionamentos do porquê desse resultado. Conversamos com a Psicopedagoga Fabiana Almeida, e ela nos responde algumas das dúvidas frequentes dos pais.

O que leva um jovem a repetir de ano?

Muitas vezes a falta de acompanhamento extraescolar, quando ele apresenta dificuldade, a falta de monitoramento dos pais desde o início do ano, e a falta de conhecimento muitas vezes da série anterior, quando ele já veio com dificuldades da série passada e essas dificuldades não foram observadas na época certa.

Como identificar que o meu filho não está indo bem nas notas da escola?

Acompanhar desde o início do ano as primeiras avaliações, e já ir observando se ele está se saindo bem, qual disciplina que ele está apresentando mais dificuldade, dependendo da dificuldade apresentada e já entrar com uma intervenção, seja com um acompanhamento pedagógico, psicológico, psicopedagógico, de acordo com a dificuldade apresentada.

O que fazer nesse momento? Um castigo resolve?

Não, um castigo não resolve. Até resolveria, vai depender do acordo pré, o que e feito de acordo dos pais com essa criança antes do fato, é que vai surtir ou não efeito, não adianta castigar se não houve antes um combinado. É uma situação que exige uma complexidade, não é tão simples castigar por castigar, sem antes a criança ter sido realmente informada do tipo de punição que teria caso fosse reprovado.

Após uma reprovação, o certo é mudar de escola?

É relativo, vai depender de como psicologicamente a criança se encontra, ela vai ficar separada do grupo que ela já vem acompanhando durante anos, ao mesmo tempo mudar de escola muda a metodologia que a criança já estava acostumada, então mudar de escola, mudar de amigos, vai depender muito da conversa com a criança se ela quer mudar ou prefere ficar.

Como deve ser a conversa dos pais e filhos durante esse resultado?

Sentar com a criança, pontuar o que levou a essa reprovação, até que ponto foi negligencia da criança, dos pais. Dependendo da idade, por que uma criança muito pequena não sabe fazer esse tipo de reflexão, então dependendo da idade, pontuar o que contribuiu para que a criança não tivesse sucesso, e se a criança for muito pequena, conversar de forma muito tranquila, mostrando o quanto repetir aquele ano, vai fazer com que ele mais tarde consiga seguir sua vida escolar de forma mais tranquila.

A presença dos pais na hora dos estudos, ajuda ou atrapalha o rendimento do aluno?

Muitas vezes, alguns pais gostam de estudar com a criança. Mas nem sempre eles estão preparados para fazer esse acompanhamento, por que hoje o sistema de ensino está muito diferente da forma de ensino que eles aprenderam, e muitas vezes estando junto da criança não ajudam como deveria, quando perceber que a ajuda não está fazendo efeito, é bom procurar um profissional da área.

Credito de imagem: http://ensinoip.com.br/meu-filho-reprovou-e-agora/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *