Home > Conta Certa > Mudanças nas regras da previdência pública… Como fazer meu planejamento para a aposentadoria (parte 01)

Mudanças nas regras da previdência pública… Como fazer meu planejamento para a aposentadoria (parte 01)

A cada dia que passa, fica mais evidente que não podemos contar apenas com a previdência pública para manter nosso bem-estar na aposentadoria, seja pela ineficiência da gestão, seja pela mudança periódica nas regras. É preciso buscar formas complementares de manter nosso padrão de vida quando deixarmos de trabalhar.

O planejamento para a aposentadoria tem alguns vilões, algumas ameaças, mas tem também uns aliados. Vejamos:

– Inflação: não sabemos quanto será a inflação no próximo mês, quem dirá saber a inflação nos próximos anos até a aposentadoria e durante a aposentadoria… Uma solução é buscarmos diversificar nossa carteira de investimentos com produtos financeiros que tenham rentabilidade indexada a algum índice de inflação;

– Despesas no futuro: muita gente não sabe quanta gasta mensalmente hoje, quem dirá saber quanto gastará ao se aposentar. Uma solução é pesquisar com aposentados da sua classe social, com estilo de vida parecido com o que você deseja ter lá na frente;

– Longevidade: não sabemos quanto tempo vamos viver. A média de expectativa de vida não é referência para quase ninguém, pois todos nós temos características genéticas e estilos de vida dos mais variados. Sugiro computar pelo menos 20 anos de sobrevida após a aposentadoria nos seus cálculos;

– Juros sobre juros: esses são aliados. Isso quer dizer que quanto mais tempo você puder esperar para se aposentar mais fácil será o caminho até seu objetivo. Some-se a isso que qualquer 1% a mais de rendimento anual nos seus investimentos fará uma enorme diferença no dimensionamento de seus planos;

– Começar logo: também é um aliado. Começar logo, assim como o item anterior, significa ter mais prazo para alcançar seu objetivo, o que facilita a caminhada. Se você não tem sobra de caixa mensal, sugiro priorizar suas despesas e verificar se realmente não existe sobra. Muitas vezes, achamos que não há, mas, com um pouco de controle financeiro e atenção ao consumismo, conseguimos fazer sobrar. Faça o seguinte: separe 5% da sua renda e tente passar o mês com 95%. Se não der, tente novamente no próximo mês. Se der, aumente para 6% no mês seguinte e assim por diante, até conseguir viver com 80% de sua renda e aplicar 20% dela no seu plano para a aposentadoria.

Uma vez tendo sobra de caixa, o próximo passo é escolher os produtos de investimento: planos de previdência complementar? PGBL ou VGBL? Tesouro Direto? Montar minha própria carteira?

Mas esse é o tema da próxima semana…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *