Home > EXPLORE > Relacionamento > Relacionamentos Obsessivos

Relacionamentos Obsessivos

Diversas pessoas tem o amor como significado de algo arrebatador, que chega ao nível de doer em seus peitos, ao ponto de não aguentar pela espera para estar com seus companheiros. Então, habituam desistir de relacionamentos firmes e concretos, mas calmos, por momentos de ampla excitação provocados por estas pessoas fantasiadas

Refletem que não se importa se outros as analisam loucos ou que estão apenas “vivenciando uma aventura”. O que importa é sentir que estão no “topo da onda”, vivendo o maior amor do mundo. Mas não é sempre assim, o que não entendem é que, ao fazerem isso, na maior parte das vezes podem deixar um amor real e palpável por algo que apenas tem aparência de amor, mas carece de substância, apenas passageiro. Então, surge os arrependimentos e a lástima de culpa, muitos abandonam vidas feitas, filhos, carreiras, país para viverem este novo relacionamento.

Podemos titular de amor o que os dois adolescentes criados por Shakespeare viveram, levando-os ao suicídio? Que diferença se faz de uma notícia atual sobre um casal de jovens que se jogaram em frente ao trem, devido a um pacto de morte? E os casos nos quais a mulher ou o homem se torna um “stalker”, conhecido por perseguir e invadir a privacidade do seu companheiro (a), com a desculpa de que ama demais ao ponto de não conseguir manter distância? Ou que faz grandes demonstrações públicas, nem sempre desejadas, colocando a pessoa em situação incômoda?

Assim, antes de “entrar de cabeça”, é bom lembrar que amor pode perdurar e resistir ao tempo. Procure viver por algumas características quando estiver apaixonado como, paz de espírito, aceitação, tranquilidade, compreensão, serenidade, atração nos momentos adequados, saudade e ciúmes toleráveis, preocupação normal com o bem-estar do outro, e confiança. Não troque amor com sentimento de posse.

One thought on “Relacionamentos Obsessivos

  1. Isso explica porque num momento a pessoa obsessiva pode abraзar e beijar loucamente o ser amado e, em seguida, se ele lhe desagradar, comeзar a gritar e a bater nele. O que parece uma bipolaridade, a princнpio й apenas sintoma de um relacionamento afetivo que tem tudo, menos amor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *