Home > Conta Certa > Mudanças nas regras da previdência pública… Diversifique sua carteira com ativos que rendam acima da inflação! (Parte 03)

Mudanças nas regras da previdência pública… Diversifique sua carteira com ativos que rendam acima da inflação! (Parte 03)

No plano financeiro para a aposentadoria, é preciso selecionar os ativos que comporão sua carteira de investimentos. Já falamos aqui outras vezes, mas não custa lembrar, que essa composição deve balancear risco e retorno, respeitando sua capacidade de poupança, para que você atinja seu objetivo com eficiência. Não coloquei a liquidez nesse balanceamento, porque já supus que os recursos ficarão alocados, sem necessidade de resgate, até a aposentadoria.

Há muitos ativos disponíveis no mercado financeiro, adequados para horizontes de longo prazo: títulos públicos (do Tesouro Direto), títulos privados (de bancos e/ou empresas não financeiras), previdência privada, ações, fundos de investimento, fundos imobiliários e, até mesmo, os próprios imóveis. Cada um tem seus pros e contras. Por isso, diversificação é a palavra de ordem.

Não inseri nessa lista a caderneta de poupança, porque seu ganho real tem sido praticamente zero nos últimos anos: se num ano, a rentabilidade supera a inflação, no outro, fica aquém. E superar a inflação é condição essencial para planos de longo prazo. De que adianta economizar, guardar dinheiro, poupar para o futuro, e ter rendimentos que nada mais são que reposição do poder de compra? Em outras palavras, de que vale deixar de consumir hoje, se, lá no futuro, eu vou consumir a mesma coisa, sem nenhuma recompensa por ter adiado o consumo?

Pensem nisso.

Vou parar por aqui, para não estender demais o texto. Semana que vem, apresento as vantagens e desvantagens da previdência privada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *