Home > Conta Certa > Vamos falar de objetivos financeiros…

Vamos falar de objetivos financeiros…

Já escrevemos outras vezes aqui no blog sobre o processo de gestão financeira pessoal. Esse processo, segundo entendemos, tem cinco etapas: (1) o diagnóstico financeiro, (2) os objetivos financeiros, (3) os planos e ações financeiros, (4) a execução e (5) a medição e o controle.

Uma vez feito o diagnóstico, passamos a tratar do que você quer alcançar. Nessa etapa do processo, precisamos formatar seus objetivos financeiros, definindo-os e delimitando-os. Definir e delimitar significa dizer que seus objetivos devem fazer sentido: serem compreensíveis, justificáveis e possíveis.

Se você sabe realmente o que você quer e quando quer, seus objetivos são compreensíveis, e você é capaz de descrevê-los. Não adianta termos objetivos vagos, precisamos deles completos. Por exemplo, dentro de 10 anos, eu quero comprar (e não construir) uma casa de campo, nas proximidades de Itaipava (RJ), três quartos, jardim, lareira, dentro de um condomínio horizontal, preço variando entre X e Y reais. Isso é bem diferente de: “eu quero uma casa de campo.”

Se você sabe por que e para que quer, seus objetivos são justificáveis. É preciso haver uma razão e uma finalidade para cada objetivo, sob pena de você, mais uma vez, não tê-los por completo. Por exemplo, quero a casa em Itaipava/RJ, porque tenho vivido muito estressado, e meu médico disse que eu preciso de momentos de folga e ar puro. Por isso, pretendo freqüentar a casa pelo menos duas vezes por mês. Ao explicitar os motivos e os fins, você terá condições de melhor dimensionar as necessidades relativas a esse objetivo: será preciso um caseiro, de uma faxineira? Que mobiliário será imprescindível? O que eu precisarei estocar na despensa mensalmente?

Pergunte-se sempre: por que razão eu quero esse objetivo? Para que fim eu quero aquele objetivo? Essas respostas são informações essenciais para a delimitação dos objetivos. Delimitando-os, você saberá exatamente o que cada objetivo pode e não pode oferecer e daí avaliar se há outros objetivos complementares aos que você definiu.

Finalmente, seus objetivos precisam ser coerentes com sua situação financeira atual, isto é, precisam ser razoáveis e realizáveis em relação a suas restrições financeiras. Objetivos impossíveis geram desgaste, exigem planos sacrificantes em excesso e perda de qualidade de vida e não são alcançados. Objetivos não são utopia. Por isso, falamos sempre que saber o que você quer e não o que você deseja. Querer e desejar podem ser sinônimos no dicionário, mas no contexto de finanças pessoais são bem diferentes: o que eu quero é alcançável, o que eu desejo é um sonho.

Rodrigo Leone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *