Home > Conta Certa > Cartão de crédito: juros menores, mas os cuidados continuam!

Cartão de crédito: juros menores, mas os cuidados continuam!

Segundo a ABECS (Associação Brasileira de Cartões de Crédito e Serviços), a taxa de juros média (das cinco principais instituições emissoras de cartão de crédito no Brasil) caiu quase pela metade, com a implementação da Resolução 4.549 do Banco Central que limita a 30 dias a permanência no crédito rotativo: era de 456,6% ao ano (15,4% ao mês) em março e foi para 233,9% ao ano (10,6% ao mês) em abril.

Que bom!! Já podemos gastar!!

OPA! Não é assim não…

Uma taxa de juros mensal em torno de 10% ainda é impeditiva. Houve uma pequena diminuição, mas é apenas um alento. Não entre nessa.

Relembrando:

Quando você não paga a fatura completa, o saldo em aberto e os juros sobre esse saldo se somam aos gastos ocorridos no mês seguinte, gerando uma fatura bem mais alta. A Resolução 4.549 impede que essa operação (de não pagar a fatura completa) aconteça novamente no mês seguinte e obriga as emissoras de cartão de crédito a propor um parcelamento do saldo devedor.

Apesar da taxa de juros do parcelamento ter ficado bem menor que a taxa do rotativo, atente para dois pontos:

– O total de juros que você vai pagar no parcelamento é bem maior que o total de juros que você pagaria se permanecesse no rotativo por mais 2 ou 3 meses;

– Como o saldo devedor estará parcelado nas próximas faturas do cartão, você pode ter a sensação de que deve pouco e voltar a gastar sem responsabilidade.

Assim sendo, seguem algumas considerações:

– Encare a fatura do cartão de crédito como uma conta de energia, de água ou de aluguel, por exemplo. Você não pode pagar essas contas pela metade e precisa ter todo o valor provisionado para honrá-las. Quando você define um orçamento para os gastos no cartão de crédito e controla esses gastos ao longo do mês, você está usando o cartão de crédito a seu favor, pois poderá pagar a fatura completa.

– O cartão é um meio de pagamento, mas a fatura deve ser paga! Por mais que você não veja o dinheiro sair do seu bolso quando paga com o cartão, uma hora essa conta chega e precisa ser quitada. Se você não se programou para pagá-la por inteiro, vai entrar no rotativo e depois no parcelamento, pagando juros surreais.

– Só use o cartão de crédito para comprar aquilo que precisa.

– Se você não consegue cumprir os itens anteriores, sugiro esquecer que o cartão de crédito existe e só usar pagamento em espécie ou no cartão de débito. Passe a anotar seus gastos. Só volte a usar o cartão quando você já tiver melhor noção dos seus gastos e dos seus limites.

Rodrigo Leone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *