Home > EXPLORE > Relacionamento – Medo da rejeição faz você tentar controlar o outro.

Relacionamento – Medo da rejeição faz você tentar controlar o outro.

Tudo o que cada um de nós quer todo o tempo, em todas as áreas da vida, é ser aprovado, reconhecido e querido para se sentir pertencendo. E este pertencimento nos traz alegria, pois nos sentimos amados, que por sua vez é o que dá significado e estímulo positivo aos nossos dias. Isso vale para todas as áreas da vida, mas quando estamos numa relação afetiva, as coisas parecem complicar mais do que o comum.

Neste artigo falaremos especificamente de relacionamento amoroso, mas as observações podem valer para qualquer tipo de relação. Passamos nossos dias vivendo e tentando controlar a nosso favor todas as resoluções e situações de vida. Mas, quando se trata de relacionamento afetivo, com frequência perdemos o controle.

Aliás, a palavra “controle” é excelente e pode começar nos ajudando a entender alguns porquês:

 Por que perco o controle em meus relacionamentos afetivos e me sinto vulnerável?
Por que preciso controlar a situação, quando na verdade estou só com medo de ser rejeitado?
Por que quero controlar o amor que o outro me oferece?
Por que não suporto o controle que o outro tenta exercer em minha vida?
Por que em um término de relacionamento sinto falta do jogo que me fazia sofrer e que me deixava justamente fora de controle?

Os “porquês” são infinitos quando se trata de amar e ser amado, rejeitar e ser rejeitado. Afinal, estamos sempre, em todas as relações, repelindo ou acolhendo o outro e as situações. A dualidade está em toda parte no mundo em que vivemos. Ou é “não” ou é “sim”. Ou é bom ou é ruim. Ou gostamos ou não gostamos. Ou queremos ou não queremos. Quando fomos concebidos, o óvulo também teve que acolher o esperma para só assim começar a se criar a vida. Mas, para escolher um, teve que rejeitar muitos outros. Portanto, essa condição deveria ser natural para nós.

Como você lida com a rejeição?

Mas, então, por que todas as vezes que encaramos um “não” entramos em crise? Ser rejeitado costuma causar em nosso sistema de defesa um descontrole de nossas emoções. E pelo medo de entrar neste sofrimento é que desenvolvemos essa necessidade de controlar absolutamente tudo: até o que o outro sente ou faz. Quase sempre exigimos que a pessoa seja da forma que achamos correta, sem nos dar conta do que sentimos ou fazemos em função do medo de não sermos amados.

O medo nos aprisiona numa única ideia de conquista a qualquer preço. E inúmeras vezes nem amamos de verdade, só queremos provar para nós mesmos que somos irresistíveis e irrecusáveis.O medo nos aprisiona numa única ideia de conquista a qualquer preço. E inúmeras vezes nem amamos de verdade, só queremos provar para nós mesmos que somos irresistíveis e irrecusáveis.

Quem ousa a nos dizer “não” é odiado , castigado e muitas vezes torturado – nem que seja só no pensamento. Mas, na verdade, somos nós que perdemos tempo e energia com este comportamento quase obsessivo, querendo provar algo que na verdade devemos carregar dentro de nós: a autoestima inabalável. Nada importa, só a certeza de que somos sempre merecedores do melhor e que não podemos controlar o outro, só a nós mesmos.

Os estragos que a rejeição comete são infinitos, pois um único registro disso ou uma pequena falta de respeito registrada na infância pode se perpetuar e se reeditar durante toda a nossa vida adulta. Por esta razão, eu aconselho você a responder a si mesmo os “porquês” acima e tentar sinceramente aceitar que o problema de ser rejeitado ou amado está na maneira como você julga a situação que viveu ou está vivendo.

Olhe com atenção, deixe o comportamento de vítima de lado por algum tempo. Observe que todas as situações são, na verdade, neutras. Nós é que as colorimos com nossas emoções. Por esta razão, cada pessoa tem sua opinião própria sobre uma situação. Entenda que o que você reconhece em alguém é o que está dentro de si mesmo, e é só por esta razão que consegue ver determinado aspecto no outro. Tente digerir estas informações e faça uma autoinvestigação sincera. Escolha ser feliz e deixe para trás os sofrimentos vindos da necessidade de controlar tudo.

Meditação para fazer diariamente

Para que você consiga encontrar essas respostas dentro de si, escolha os momentos do dia em que puder ficar pelo menos 1 minuto só prestando atenção em sua respiração. Se ela estiver curta, expanda-a, respire profundamente e continue atento a isso. Se a mente estiver produzindo muitos pensamentos, apenas observe-os e perceba o silêncio entre um e outro. Faça isso quando acordar, antes de se alimentar ou ligar o carro, parado no trânsito, quando deitar na cama para dormir, etc. Se sentir vontade de fazer por mais tempo, será ótimo, pois aos poucos isto vai se tornar um hábito positivo que abrirá as portas da sua consciência em direção à alegria.

Aceite o que a vida lhe propõe, sem manter a ilusão de que pode controlar tudo em sua existência. Relaxe, sinta-se merecedor e seja feliz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *