Home > Comportamento

Comportamento

Comportamento – Como lidar com pessoas que tentam abortar sua dieta.

Manter por perto pessoas que apoiam e entendem o processo de perda de peso é essencial para alcançar seus objetivos. É provável que você já tenha escultado vários comentários pouco encorajadores como por exemplo " Mas você só vai comer isso?" ou " Você não sente fome o dia inteiro?" Nem sempre as pessoas que interferem é consciente; As pessoas que estão neste processo deve ficar bem atento para não cometer deslizes e se manter firmes na dieta. Veja algumas dicas: ° Se vai sair leve seu lanche de casa, se não poder levar, compre de preferencia comidas saudáveis, ° Beba água ou suco, ao invés de refrigerante, ° Deixe sempre claro para todos que esta em um processo de perda de peso.

Como diminuir o estresse no trabalho?

Se você é como a maioria das pessoas, toda vez que encontra um problema liga logo o sinal de alerta. É como se a sua mente tivesse identificado um inimigo à frente e imediatamente você passa a sentir preocupação, ansiedade ou medo. Conforme o tempo passa e a solução não vem, a preocupação e o estresse vão aumentando. Isso pode resultar em noites mal dormidas, conflitos nos seus relacionamentos e até mesmo problemas de saúde. É possível que nesse exato momento você esteja enfrentando um problema assim… Existem 3 passos para lhe ajudar diminuir o estresse: entender suas preocupações, olhar para o problema de forma positiva e ter auto controle. Os problemas vão continuar surgindo em nossas vidas, isso é inevitável. Portanto, quanto mais preparado você estiver para lidar com eles – adotando uma perspectiva positiva e seguindo a estratégia que acabamos de mostrar – maior será sua capacidade de encontrar soluções.

O Brasil tem a maior taxa de transtorno de ansiedade do mundo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou um dado alarmante: o Brasil é o país com o maior percentual de pessoas com transtorno de ansiedade em todo o mundo. Pelo menos 9,3% dos brasileiros sofrem com esse mal, marcado pela dificuldade de se concentrar, insônia e preocupação excessiva. Além disso, o país é o 5º do mundo com maior índice de depressão, atrás apenas de Ucrânia, Austrália, Estônia e Estados Unidos. Cerca de 11 milhões de brasileiros têm quadro depressivo (5,8%) e isso é agravante, porque a doença está associada a mortes por suicídio e outros males que podem até levar ao câncer. O especialista lembra que não é bem uma surpresa o fato de o Brasil ter altos índices de ansiedade e depressão. Em 2014, por exemplo, um relatório da OMS focado na cidade de São Paulo indicou que os paulistanos são os que têm maior incidência a perturbações mentais em todo o mundo (pelo menos 29,6% deles sofrem disso). Crédito de imagem: http://blog.zenklub.com.br/o-que-ansiedade-pode-causar

Briga com o coleguinha? Quando é a hora certa de conversar com a direção da escola

Ainda que se leve em consideração que as crianças em idade pré-escolar não sejam mais agressivas hoje do que no passado, algumas tendências atuais contribuem para o nível de agressividade das crianças contemporâneas. Muitas vezes, esse comportamento é apenas reflexo do estresse da vida familiar, minando as reservas emocionais das crianças. Possíveis razões para agressividade: A exposição constante à violência nos meios de comunicação - incluindo televisão com desenhos animados, comerciais de TV e o contato com jogos de vídeo-game e de computador violentos - é parte do que encoraja as crianças a usarem a agressão física ou verbal. Crianças que são deixadas sozinhas para cuidarem de si mesmos, sem serem responsáveis o suficiente para isso por longos períodos do dia, também são mais vulneráveis ​​a tais influências. É claro que a maioria dos pais quer que seus filhos se comportem bem. As crianças recebem mais apoio social quando se comportam com boas maneiras e habilidades de socializa

A importância de contar histórias para seu filho

A narração de histórias desenvolve a linguagem, apresenta o mundo da arte, amplia o universo de significados e ainda proporciona um momento simples e único de conexão entre pais e filhos "Do mesmo jeito que jogamos a criança para o alto, demonstrando amor, contar pequenas histórias também é uma forma de enriquecer o afetivo", diz Gilka Girardello, profa. da UFSC. "Era uma vez uma menina que usava chapeuzinho vermelho". Ou "Lá nos fundos do rio, vive uma bela sereia chamada Iara". Ou ainda: "quando eu era pequena e ficava na casa da bisa Maria, sempre me pendurava no pé de manga que era beeem grande". Seja qual for a sua preferida, todas essas frases são maneiras legítimas e interessantes de começar a narração de uma história. E, se parar para pensar, você também vai se lembrar de um causo que lhe foi contado com carinho pela tradição oral. "A arte de contar histórias sempre teve uma função básica de passar o conhecimento de geração para geração", diz Regina Machado, criador...

Ansiedade Infantil

Uma dúvida sempre presenta na vida de papai e mamãe... será que estamos tornando os pequenos cada vez mais impacientes? Entenda quais os efeitos disso, e o que você pode fazer para ajudá-los a serem menos ansiosos. Para quem é papai e mamãe, já deve ter passado por aquela cena clássica de família, em um momento de jantar no restaurante, quando a criança está sozinha e fica completamente perdida a conversa, brincando com algum joguinho, ou desenho no celular? Ou aquele momento no supermercado que você coloca qualquer coisa no carrinho, só para o pequeno parar de chorar. Pois é, elas acontecem bastante. Fazer birra é um comportamento natural das crianças, enfim, faz parte da infância avaliar os limites. com o uso cada vez mais frequente da tecnologia está cada vez mais fácil ao alcance das mãos, com isso a paciência está ficando mais difícil de aparecer. Estamos vivendo um uma época, que tudo é resolvido em apenas um clique. Os progressos tecnológicos fazem com que as crianças cresça

Crianças com Smartphone: qual é a idade ideal para os pequenos terem um celular próprio?

Se antes a preocupação dos pais era com o amplo acesso à internet que os filhos tinham dentro de casa, agora a dúvida é saber se devem ou não liberar o uso de Smartphone, Tablets... Saiba como lidar com essa situação! "Meu filho de 9 anos pediu um Smartphone, pois seus amigos da escola têm. É cedo ou essa idade já é suficiente para ganhar o próprio telefone?" (pergunta enviada por leitora para a CLAUDIA) É preciso ter cuidado ao colocar um Smartphone nas mãos de uma criança. Aos 9 anos, seu filho, claro, já é capaz de operar todas as funções do aparelho, mas talvez não saiba tirar o melhor proveito dele ou até caia em roubadas. Então, para tomar a decisão de presenteá-lo ou não, leve em conta a responsabilidade que ele demonstra no dia a dia. De qualquer modo, se optar por satisfazer a vontade dele, lembre-se de que deverá supervisioná-lo. "Quando uma criança pede um celular desses, não é para fazer ligações, mas para ter acesso à internet e a jogos", ressalta a psicóloga Andréa Jot

Crianças que falam errado, podem se prejudicar na escrita

Uma criança que tem a fala errado, tem maior chance de escrever errado. Não é todo mundo que sabe qual é a área responsável do cérebro que utilizamos para escrever. Se não souber responder, não se preocupe. O motivo é simples: não há uma área específica do cérebro para a escrita. A arte de escrever foi criado pelo homem pela necessidade de se comunicar. Por não ser algo natural, para realizá-lo ativamos os mesmos mecanismos cerebrais que usamos para falar, transformando assim o som em imagem. ‘’ Um exemplo de caso, é quando estamos lendo em voz baixa, quando ouvimos a nossa própria voz na cabeça’’ esclarece a fonoaudióloga Priscila Lacerda. Então, falar e escrever são ações intensamente relacionadas e dificuldades em uma dessas competências podem refletir na outra. É por isso que o problema da fala não deve ser segunda opção para os pais. "Uma fala errada, se torna bonitinho e engraçadinho, mas no futuro tem grandes chances de prejudicar o dia a dia ao longo da escola, faculdade. Al

Saiba como aumentar e estimular a inteligência do seu bebê.

Educar filhos nos dias de hoje é um desafio para os pais. A era da vivencia é de períodos de grandes avanços em todos os campos: científicos, tecnológicos, biogenéticos, de informação e também da família e da educação. Na maiorias das famílias as mães trabalham fora de casa e têm pouco tempo para educar seu filho. Ao mesmo tempo, as crianças ficam mais sujeitas a influências nocivas e externas devido ao uso da TV e da internet. Então, educar apenas por métodos e experiências passadas não é mais suficiente. Os pais precisam se adequar a ciência da educação, para que os filhos possam se desenvolver em todos os sentidos: físico, intelectual, moral e espiritual; e sejam felizes. Os bebês são muito mais inteligentes do que nós imaginamos. Pesquisas mostram que, a capacidade intelectual de um bebê depende 70% da educação, ou seja, dos estímulos recebidos nos primeiros anos de vida e apenas 30% da herança genética; O cérebro cresce pelos estímulos que recebe. Quanto mais estímulos maior ser

Recebeu convite para um jantar? Não erre na etiqueta!

Algumas vezes a gente e pego de surpresa, e aparecem oportunidades diferentes do nosso dia a dia. A falta de conhecimento pode nos deixar inseguros, então a gente acaba deixando as oportunidades passarem. Talvez você saiba como usar todos os utensílios que chegam a mesa de um restaurante mais sofisticado, ou de um jantar cheio de cerimônia. O garçom não tem como adivinhar quando você quer que ele retire o prato. Pois bem, aqui segue a linguagem dos pratos e dos talheres para vocês, é bem fácil e evita vexame. USE ADEQUADAMENTE OS TALHERES:  Use o garfo na mão esquerda e a faca na mão direita do início ao fim A faca é um objeto cortante. Use-a quando tiver algo para cortar. Corte o alimento à medida que for comendo. Se o alimento não necessitar do uso da faca, você poderá usar o garfo na mão direita. Uma vez que você começou a comer, os talheres jamais deverão tocar a mesa. COMO MONTAR A MESA CERTA: Para ter um bom comportamento não é só servir e arrumar uma

Ginástica para o cérebro, memória jovem na terceira idade.

Os anos passam, a idade avança e chega a hora de se aposentar. Nesta fase, a tendência é reduzir o número de afazeres ao longo do dia. O corpo começa a ficar sedentário e o cérebro também reduz sua atividade. Surgem preocupações ligadas à saúde, como pressão alta, diabetes e colesterol. Isso sem contar o cérebro, órgão tão fundamental para a vida humana, que começa a perder suas capacidades de memorização e raciocínio. Para driblar os efeitos do tempo, é importante adotar alguns cuidados com a alimentação, praticar exercícios físicos e também atentar-se ao bom funcionamento do cérebro. Graças aos avanços da ciência, hoje existem recursos para estimular os neurônios e manter a mente jovem. Possuímos cerca de 86 bilhões de neurônios, ou seja, um número muito alto de pequenas estruturas responsáveis por captar, transmitir, armazenar, registrar e resgatar todas as informações que adquirimos ao longo da vida, e todas elas podem ser ativadas se forem bem exercitadas. Já foi comprovado que

Meu filho reprovou, e agora?

Final do ano chegou, é hora de juntar a família para aproveitar as férias da criançada. Mas nem sempre é assim quando nos referimos a reprovação escolar. É nesse momento em que se dá a maior preocupação dos pais, ao receber o boletim e ficar sabendo que seu filho foi reprovado. De princípio vem o pensamento dos pais, com tempo, dinheiro e esforço gasto durante todo um ano, depois do choque vem as dúvidas do que é melhor fazer nesse momento. Falar em reprovação é falar de autoestima, e o primeiro sentimento que surge é de incapacidade, o aluno se vê como "burro", e diante desse resultado o aluno precisa sentir que os profissionais da escola e a família acreditam em seu potencial, o deixando seguro para iniciar um novo ano. Então é hora dos questionamentos do porquê desse resultado. Conversamos com a Psicopedagoga Fabiana Almeida, e ela nos responde algumas das dúvidas frequentes dos pais. O que leva um jovem a repetir de ano? Muitas vezes a falta de acompanhamento extraescolar, quand