Home > “Desiquinha” por Heloíse Desirée

“Desiquinha” por Heloíse Desirée


Meu nome Heloíse Desirée e tenho 25 anos. Nunca vi uma pessoa ter tanto apelido igual a mim. Quem me conhece desde criança me chama de Lulu. Da época da escola, Helô. Os colegas de trabalho me chamam de Desi, Desica... Os amigos mais íntimos e minha mãe me chamam de gorda, e por aí vai. Quando eu era criança queria ser professora. Aí eu comecei a dar aulas de reforço pra ganhar um dinheirinho na adolescência e percebi que não tinha o menor dom para ensinar. Pensei também em ser psicóloga, mas acho que falo melhor do que ouço (Ok! Muitas vezes sou psicóloga das minhas amigas, mas amigo é pra essas coisas mesmo). Algumas pessoas diziam que eu deveria fazer medicina. Mas gente, não aguento ver cenas fortes, menor condição... E aí acabei indo para a área de comunicação. Me formei em 2013 em Comunicação Social com habilitação em radialismo pela UFPB. Depois disso descobri minha paixão por TV. Tive a sorte de ser descoberta pela jornalista Cristina Dias, na época, editora de TV Correio. Ela me deu a oportunidade de estar no vídeo em uma das emissoras mais populares do estado. Comecei fazendo o quadro “Tá de Graça” no Correio Manhã. Eram reportagens semanais sobre economia do dia-a-dia, de uma maneira bem descontraída. E fui ficando. Trabalhei também na produção dos programas jornalísticos e de entretenimento... Hoje sou editora de texto do programa Mulher Demais e também participo do programa Correio Manhã com as interações pelas redes sociais. Ah, as redes sociais são minha paixão. Adoro esse universo!

Atividade física + alimentação balanceada

Parece conta matemática: atividade física + alimentação balanceada = menos peso e mais qualidade de vida. Que bom seria que fosse assim... Mas o emagrecimento está distante de ser uma ciência exata. OK! Muita gente consegue ótimos resultados unindo as parcelas da equação, mas muita gente não consegue emagrecer seguindo os mesmos passos. No meu processo de emagrecimento, mais que todo o meu empenho na academia ou na dieta, me dedico ao acompanhamento psicológico. É na terapia que educo meu cérebro. Minha obesidade está relacionada à compulsão alimentar ( e a de muita gente) e esse problema precisa de um acompanhamento constante. Vejo muitos relatos de pessoas que dizem que não conseguem continuar o processo de emagrecimento a longo prazo. Eu também não conseguia, mas hoje percebo que não é o tempo que levamos para chegarmos ao nosso objetivo, mas como conseguimos chegar nele que é o mais importante, sem desistir.Tem dias que não sou 100% focada, mas sei aonde quero chegar e isso é o...

Determinação para chegar onde queremos.

Maio de 2016. Minha vida estava parada. Todo dia a mesma rotina: trabalho, casa. Dormia a tarde inteira, depois comia, tomava banho e dormia de novo.  Acho que mesmo sem me dar conta, sabia que já não gostava tanto assim de mim. Como poderia gostar então dos outros ao meu redor? Estava infeliz com minha falta de perspectiva. Aos 25 anos de idade, com pouco mais de 131 kg, precisava mudar. Não era só o meu peso que estava me incomodando, mas principalmente a imagem que estava tendo de mim. Decidi procurar ajuda psicológica e criei coragem para tomar atitudes que precisavam de um olhar mais pra dentro. E tomei várias! Em julho resolvi criar o projeto #EmagreceDesirée. Estava em férias e ao invés de fazer tudo o que fiz nos anos anteriores, fiz diferente: me dediquei a conquistar um estilo de vida mais saudável. Todo santo dia acordava cedinho e ia a praia praticar atividades físicas. Quase morria correndo na areia, mas como acompanhamento de uma personal trainer, consegui ir superando m